O cirurgião plástico Dr. Marcelo Norio Inada explica sobre os procedimentos mais procurados para as mulheres com mais de 50 anos para Ana Paula Padrão.

Veja mais no blog da Ana Paula Padrão:

http://estilo.br.msn.com/tempodemulher/beleza-e-saude/story.aspx?cp-documentid=254659549

Demi Moore completa 50 anos e continua sendo uma das grandes estrelas de Hollywood. Sinônimo de beleza, a atriz norte-americana chega à maturidade com tudo em cima. Na época de um dos seus filmes mais famosos, “Striptease”, de 1996, correram boatos de que a atriz havia gasto fortunas em procedimentos para modelar o corpo. Ela sempre negou que tenha feito cirurgias plásticas, embora já tenha declarado que não julga quem se submete aos procedimentos do bisturi.

Reza a lenda que a atriz fez implantes de silicone, lipoaspiração na barriga, nos quadris e coxas, lifting nos seios e no rosto e ainda fez uma cirurgia plástica nos joelhos. Demi teria recebido também injeções de colágeno, feito tratamentos estéticos faciais como peelings e ainda clareado os dentes. Para o cirurgião plástico Marcelo Norio Inada, atualmente muitas mulheres estão preocupadas com o contorno corporal, sendo frequente pedirem procedimentos como lipoaspiração, levantamento dos seios (mastopexia) e a inclusão de próteses mamárias.

“Outras já se importam mais com a face, procurando diminuir os efeitos do tempo com uma cirurgia facial ou a blefaroplastia (cirurgia das pálpebras) ou com procedimentos menos invasivos como os preenchimentos ou a toxina botulínica, o popular botox”, destaca o cirurgião, membro do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein.

Idade para cirurgias

Demi Moore não está sozinha quando o assunto é rejuvenescer. Para cada idade existem algumas cirurgias mais realizadas. A lipoaspiração, por exemplo, é uma das cirurgias plásticas mais comuns no Brasil e, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, são feitas cerca de 200 mil operações todos os anos. O silicone de mamas entre as mulheres jovens, por exemplo, já assumiu o primeiro lugar em números de cirurgias realizadas antes ocupado pela lipoaspiração.

O cirurgião explica que não há limites de idade para buscar uma cirurgia de rejuvenescimento. Hoje em dia, continua Marcelo, as mulheres de 30 anos já estão utilizando o popular botox para prevenir as rugas. “Todas querem parecer mais jovens, mais bonitas, se sentirem bem. Não há limites de idade para buscar uma cirurgia de rejuvenescimento. Desde que a mulher se sinta incomodada com alguma parte de seu corpo e que a cirurgia plástica possa oferecer algum método de rejuvenescimento, não vejo porque não oferecer esse benefício à paciente”, destaca.

As mulheres, mesmo com o passar dos anos, sempre se incomodam com o contorno corporal. Depois dos 50 anos podem se submeter ainda a lipoaspirações, abdominoplastia e silicone de mamas, mas, com o passar dos anos, algumas deixam a preocupação com o corpo de lado e se preocupam mais com os cuidados com a face.

“As cirurgias mais realizadas nesta fase são a blefaroplastia, na qual retiramos o excesso de pele das pálpebras, e também a ritidoplastia (face-lifting ou mini lifting), ou seja, a cirurgia da face onde retiramos o excesso de pele e reposicionamos a musculatura que também cai com o tempo, o que provoca o famoso ‘bigode chinês’ de que as mulheres tanto reclamam. Podemos ainda retirar o famoso ‘papo’, lipoaspirando a região abaixo do queixo e amarrando a musculatura do pescoço para que ele fique mais esticado”, explica o cirurgião.

Atenção com o excesso

No entanto, algumas mulheres exageram na dose de cirurgias e ficam deformadas com o excesso. Muitas vezes durante esses procedimentos pode nem ter havido erro, mas sim o resultado é que não ficou natural. Marcelo explica que é preciso respeitar a fisionomia que a pessoa já possua e, em alguns casos, o cirurgião plástico precisa agir como um “psiquiatra com um bisturi na mão”.

“Existem várias pessoas que se submetem a uma cirurgia pelos motivos errados. Há pessoas que sofrem de um distúrbio, o dismorfismo, que nunca estão satisfeitas com seu próprio corpo e o cirurgião plástico precisa saber identificá-las e muitas vezes se recusar a operá-las. Outras, que querendo salvar seu relacionamento procuram a cirurgia plástica. A cirurgia plástica não salva casamento”, avalia Marcelo. Por isso, ressalta o cirurgião, é importante operar porque a paciente quer fazer para se sentir bem e não pelo seu companheiro.

*Marcelo Norio Inada é cirurgião plástico pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e pela Associação Médica Brasileira. Titular em Oncologia Cutânea (Câncer de Pele) no Hospital AC Camargo, Professor em Cirurgia Plástica no Hospital da Cruz Vermelha, Membro do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein; e atua em seu consultório particular. Tem experiência em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora, Oncologia Cutânea; atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia plástica estética (face, rinoplastia, contorno corporal, silicone de mamas, lipoaspiração, abdominoplastia); cirurgia plástica reparadora e câncer de pele.

Veja mais no blog da Ana Paula Padrão:
http://estilo.br.msn.com/tempodemulher/beleza-e-saude/story.aspx?cp-documentid=254659549

Comments are closed.

Invalid username, no pictures, or instagram servers not found
Invalid username, no pictures, or instagram servers not found